Todo mundo já está cansado de saber que a Era Digital redesenhou o consumo, mas será que a sua marca tem usado essas mudanças a seu favor? Mais do que mídias sociais e influenciadores digitais, o mundo digital tem remodelado negócios e aberto novas perspectivas de consumo que antes eram inimagináveis.

Nós elencamos três momentos em que a relação do consumidor com o produto/serviço mudou e como você pode aplicar isso ao seu negócio.


1. Seu consumidor ainda mais próximo e gerando conteúdo sobre a sua marca

 

Sabemos que nunca antes as pessoas estiveram tão próximas da sua marca. Com apenas uma pesquisa no Google elas têm acesso ao seu site, seus produtos, suas mídias sociais, seus posicionamentos, seus valores… conseguimos saber tudo em uma fração de segundo.

Mas o que realmente virou a chave do consumo foi: o seu consumidor, com facilidade, pode gerar conteúdo sobre sua marca, seja ele positivo ou negativo.

Virou padrão, antes de comprar, contratar um serviço ou até mesmo visitar seu espaço físico, o consumidor ler os comentários do Facebook, Instagram, reviews do Google Maps, verificar se tem alguma reclamação no Reclame Aqui, assistir um vídeo de alguém usando no Youtube e ainda, se for um restaurante, verificar quantas estrelas ele tem no iFood antes de fazer o pedido. O consumo agora não se baseia apenas na popularidade de uma marca ou na propaganda da novela das 20h, mas no que o outro consumidor diz sobre ela.

Você pode fazer uma campanha publicitária gigante, falando sobre como seu produto é incrível, revolucionário e relevante para o mundo, mas não vai valer nada se as suas avaliações são negativas. O seu consumidor virou seu maior aliado na propagação da sua ideia e o conteúdo que ele gera tem grande peso na influência do consumo.

O que você pode fazer

Esteja presente em TODO momento que sua marca seja citada. Não deixe de responder comentários, mostre que você se importa com a experiência do consumidor e quer estar presente mesmo depois da compra. Fique sempre atento, gere conversa com os consumidores e perceba como este relacionamento acaba sendo mais importante do que o preço que a pessoa está disposta a pagar. Você pode também incentivar alguém a escrever sobre seu produto, contar a experiência que ele teve, incluindo os pontos positivos e negativos (e precisa ser verdade, nada de mentir!). 😉

 

2. Possuir x usar

 

 

Você não precisa ter um carro, você só precisa ir de um lugar ao outro. Este é o pensamento que cerca o serviço oferecido pela UBER. A tecnologia permitiu uma mobilidade fácil que antes era só acessível para quem tivesse um carro (ou condição de pagar um Táxi). Mas o mindset utilizado pela Uber que revolucionou o consumo foi o conflito entre o possuir e o usar.

Diversas empresas e startups trazem opções acessíveis de “aluguel” de objetos que antes ninguém pensava em alugar, como as bicicletas da Yellow ou os patinetes da Grin. Mas a que mais chamou nossa atenção, e merece um destaque aqui neste texto, foi a Rentbrella.

A Rentbrella é uma plataforma que permite você alugar guarda-chuvas (sim! você já tinha imaginado isso algum dia?) e tudo direto pelo app. Você verifica no mapa do app as estações próximas, retira quando precisar e devolve quando terminar de usar. Tudo simples e disponível sempre que você tiver que enfrentar aquele dia de chuva inesperado.

“Hoje, usar não significa ter. Foi pensando exatamente nisso que fundamos a Rentbrella. Queremos que as pessoas explorem mais suas cidades, sem se preocupar com as reviravoltas do clima. Como o app funciona de forma bastante simples e prática, e, o compartilhamento do guarda-chuva tem um preço simbólico, esperamos que o serviço seja acessível a todos”, comenta Nathan Janovich, CEO e co-fundador da empresa.

Veja mais no site deles: https://rentbrella.com/

O que você pode fazer

Você já parou para pensar que muitas vezes seu consumidor não precisa do seu produto, mas sim do que ele oferece? Que tal repensar sobre o que seu consumidor precisa e oferecer um serviço personalizado mais próximo da realidade dele?

 

3. DIY – Do it yourself

 

Os vídeos de “como fazer…” são os mais pesquisados dentro do Youtube, e dá pra entender o porquê: tem tudo lá!

Quer uma prova?

COMO FAZER VOLANTE BLUETOOTH COM SUCATA!

 

Como Fazer Pudim de Leite Condensado Delicioso

COMO FAZER SLIME DE DETERGENTE E FOLHA DE CADERNO 

 

Esse último foi um pouco exagerado hahahah mas você entendeu onde queremos chegar. Você pode fazer absolutamente (quase) tudo usando tutoriais do Youtube e DIY diversos. E como sua marca entra nisso? Seu consumidor tem agora uma série de novas possibilidades de uso para seu produto, mesmo depois do fim da sua vida útil. Que tal você já se antecipar e direcionar essas novas utilidades, criar novas formas de reutilizar e disponibilizar isso no seu site?

O que você pode fazer

Faça parcerias e crie conteúdos sobre como usar e reutilizar seus produtos. Use os tutoriais de “Como fazer” como um pontapé na criação de novos produtos, já que eles refletem uma necessidade de consumo.

Daqui a alguns anos as próximas gerações já terão internalizado essas mudanças e estarão vivendo perspectivas de consumo totalmente diferentes das nossas. Fazer uma análise é sempre bom para posicionar sua empresa diante das mudanças tecnológicas. Já imaginou como será daqui a 10, 50 ou 100 anos? Comente aqui abaixo, quem sabe sua ideia não pode abrir portas para uma nova revolução tecnológica 😉

Texto por: Maria Paula Valencia Gonçalves

 

Confira outros materiais:

 

Share This