Uma marca se torna uma lovemark quando envolve o consumidor a ponto dele se tornar um cliente fiel, apaixonado e um verdadeiro fã dos produtos ou serviços. Para transformar uma marca em uma lovemark, é necessário se preocupar em criar relações significativas, manter contato com o público-alvo, se preocupar com o que os clientes pensam, desejam e precisam.

O que é uma lovemark?

A expressão “lovemark” foi criada por Kevin Roberts, CEO da agência Saatchi&Saatchi e autor do livro “Lovemarks e o futuro das marcas”. Na definição de Roberts, uma lovemark é uma marca cuja credibilidade e reconhecimento no mercado reúnem fãs ou entusiastas, que possuem uma relação de amor de fã à marca.

lovemark

Muito se fala que clientes satisfeitos são uma das melhores estratégias de propagar uma empresa e seus serviços. Porém, os fãs de uma lovemarks se sobressaem, pois além de divulgar a marca, a defendem perante seus concorrentes e adquirem os produtos e/ou serviços sem realmente precisar ou pensar muito antes de realizar a compra. Por exemplo, os fãs da Apple compram um celular novo da marca a cada lançamento sem realmente precisarem.

 

Uma lovemark não nasce da noite para o dia, mas sim quando há mudança de pensamento da empresa sobre seus clientes e através de uma série de ações que fidelizem clientes e os tornem em verdadeiros fãs. Kevin Roberts afirma que para transformar uma marca em uma lovemark é preciso reconhecer que os clientes não são dados demográficos, mas são pessoas com emoções, necessidades e desejos que devem ser levados em conta.

 

Uma marca alcança definitivamente o nível de lovemark quando seus clientes que a amam expressam esse sentimento. Robert afirma em seu livro que “as lovemarks não são propriedade dos fabricantes, dos produtos, das empresas. São das pessoas que a amam”.

5 Dicas para criar uma lovemark

Existem cinco princípios básicos para implantar uma lovemark, sugeridos pelo autor do livro “Lovemarks e o futuro das marcas”.

 

  1. Envolva os clientes: é importante solicitar feedback do público para desenvolver novos produtos ou serviços. Procurar fazer com que o consumidor se sinta parte da empresa.
  2. Priorizar a lealdade: tanto o cliente como a empresa precisam ser leais à marca. Por exemplo, a empresa não pode propagar uma ideia de sustentabilidade e realizar ações de impacto negativo ao meio ambiente. Afinal, é incoerente com seu discurso e traição com os consumidores que acreditavam nos ideais da marca.
  3. Conte boas histórias: Histórias criam novos significados, conexões e sentimentos. E as lovemarks são adeptas a boas histórias, pois elas instigam e envolvem as pessoas.
  4. Os colaboradores da empresa também precisam ser apaixonados por ela: é simples, se a própria marca não amar o que faz, os clientes também não amarão.
  5. Seja responsável: a empresa deve ser extremamente responsável com o que faz, pois a paixão por uma lovemark pode ser levada ao extremo. Inclusive, há pessoas que chegam a sacrificar sua vida por uma marca. Por exemplo, times de futebol que possuem seguidores que fazem coisas absurdas para defender seu lado da torcida.

 

Transformar uma marca na “queridinha” do consumidor exige muito trabalho e responsabilidade. Em nossa equipe temos especialistas em branding para tornar a sua marca melhor posicionada na mente dos clientes.

inbound marketing

Fale conosco:

Telefone: +55 (41) 3011 6677
E-mail: contato@inovatorio.com.br

 

Fontes: